Letícia 100 Homens

Tenho lido muito a respeito do blog 100homens, feito por uma blogueira que usa o pseudônimo Letícia, para contar sobre suas experiências sexuais,  em forma de lista, com a meta de transar com 100 homens em um ano. O blog têm sido foco de polêmicas, como deve-se imaginar. A blogueira tem sido alvo de trolls, gente sem noção se oferecendo para transar com ela, outros a comparando com garotas de programa, chamando de puta, vadia, vagabunda, y otras cositas más… Porém, o acontecimento mais bizarro se deu quando a Rádio Globo entrevistou Letícia, pois simplesmente entrevistaram uma impostora! Isso mesmo, os caras falaram com uma mulher que não era a autora do blog. Tragédia pouca é bobagem. Mais info sobre essa bizarrice da Rádio Globo nos seguintes links: CemHomens: Falta de ética no jornalismo, Rádio Globo entrevista falsa blogueira, Pronunciamento da Rádio Globo, PortalImprensa.

As reações ao blog são as mais diversas, como em qualquer polêmica, mas o que chamou a minha atenção foi a agressividade e a estupidez de alguns, claramente incapazes de opinar sobre um assunto sem partir para a ignorância. Não concorda com a vida sexual da guria? Não faça igual. Não concorda com a exposição das experiências sexuais dela? Ok, direito seu, mas precisa esculhambar com ela? Essa postura acrescenta algo a sua argumentação? Tem que ver isso daí… Pra mim, xingar os outros na internet é indício de frustração, e ninguém aqui é saco de pancadas dos outros.

Sobre o blog em si: expor a vida sexual na internet é arriscado, mesmo que não se identifique. Receber críticas sobre algo tão íntimo exige uma autoconfiança suprema, ainda mais quando o assunto é a sexualidade feminina. Nós, mulheres, aprendemos desde pequenas que a nossa sexualidade é algo que deve ser escondido, pois “menina que se comporta assim é mal falada”, “moça direita não toma iniciativa”, “quem dá no primeiro encontro não se valoriza”, etc. Toda mulher já ouviu algo do tipo. Os homens também são criados para classificar mulheres em “pra casar” e “pra comer”. Acho isso de uma limitação extrema. Quer dizer então que mulher que gosta de sexo é vadia? Moça boa é aquela que aparenta ser assexuada até que seu macho salvador a “adquira como esposa”?

Vamos desmitificar algumas coisas (baboseiras que li de trolls da Letícia):

1- Mulher GOSTA de sexo, ok? Eu fiquei chocada ao saber que tanta gente desconfia do óbvio. Muitos trolls da Letícia dizem que ela é prostituta por transar com vários homens, perguntam quanto ela cobra, etc. Não conseguem entender que a mulher faz sexo por gostar de sexo, sem fins lucrativos, rs. A garota de programa não está fazendo sexo por gostar, mas por necessidade, para ganhar dinheiro, ela cobra. Além disso, é o cliente que escolhe a garota de programa, logo, ela não faz sexo com quem quer. É muito diferente da mulher que gosta de sexo e busca aliviar seu tesão com quem ela quiser. São coisas opostas, gente, impossível de confundir prostituição com sexo casual, o objetivo do primeiro é o pagamento, o do segundo, a satisfação sexual. Vamos pensar um pouquinho, sim?

2- Mulher que faz sexo casual não é uma infiel em potencial (e nem mau caráter em potencial): em primeiro lugar, uma questão de lógica; quem faz sexo casual não está interessado em um relacionamento sério. Sabem por quê? Preparai-vos para uma revelação bombástica! Sexo casual é sexo sem compromisso, entenderam? Sem compromisso. Ora, se alguém é adepto do sexo casual, é possível traição? Se alguém não quer ter um compromisso, como é que ela vai trair? Ah, mas agora vão dizer que estão se referindo a mulher que, no passado, transou descompromissadamente com vários homens (o que seriam vários homens?) e agora quer um relacionamento. Bem, aí é questão pessoal, cada um se relaciona com quem quer. Não quer se relacionar com uma mulher pelo passado dela? Ok, problema é seu, acho que ela também não iria querer se relacionar com alguém que prefere avaliá-la pelo passado sexual do que pelo caráter e comportamento. O que é ridículo é querer medir o caráter pela quantidade de parceiros sexuais, não tem nada a ver uma coisa com a outra.

3- Regular a vagina alheia não te faz alguém melhor, só lamento champs. Cada um sabe o que é melhor para si, e é livre para fazer suas escolhas, desde que não prejudique ninguém. Simples, não? E o que aconteceu com o “atire a primeira pedra quem nunca pecou”? É tão fácil criticar o modo de vida dos outros para não ter olhar pro próprio umbigo, né? Para os analfabetos funcionais de plantão: não disse que todos devem concordar com a Letícia, não confundam discordar com se meter na vida alheia.

Bom, vou ficando por aqui, só um lembrete a que teima em distorcer as coisas: não quero censurar a quem discorda da Letícia, não sou a dona da verdade e não acho que as pessoas devam ter as mesmas opiniões em tudo. A minha crítica é a quem acha que tem o direito de desrespeitar alguém só por discordar dela.

Mais opiniões sobre o assunto aqui: Escreva Lola, Escreva, Cynthia Semíramis, Manual do Cafajeste (sim, opiniões divergentes).

Anúncios

9 thoughts on “Letícia 100 Homens

  1. Ramiro Catelan diz:

    Ótimo texto, Carol. São muitas as considerações a fazer. A primeira, claro, a respeito dessa mídia imbecil que distorce, mente e faz a festa, sem receber nenhum questionamento expressivo. Quem vai se levantar contra a máfia midiática? Esses caras deixam a maioria das pessoas de quatro na frente duma novela ou dum telenoticiário distorcido e manipulador, só pra exemplificar.

    Segundo, que a trollagem do pessoal da internet é algo absurdo e aparentemente irrefreável. Esse povo acha que internet é terra sem lei: NÃO É. Um dos piores tipos de covardia do ser humano é o anonimato. Não tem peito pra falar na cara? Putz…

    Quanto à questão da moça e da sexualidade feminidade, sou totalmente à favor da emancipação sexual das mulheres: o corpo é delas para fazer o que quiserem. Abaixo o falso moralismo! Cada um cuida da sua vida. Mulher que transa com vários não é vadia, nem puta, nem cachorra: é senhora de si. Viva a liberdade sexual! Eu acho futilidade fazer lista de pessoas a transar, MAAAAS respeito a decisão dela e refuto essa canalhice que tanto o Globo quanto os trolls fizeram e vêm fazendo com ela. Bando de cretinos.

    Espero que tu reative o blog, Carol. Tem temas da atualidade, sobre os quais tu entende, que precisam ser discutidos.

    Beijo

    • Sim, Ramiro, essa mídia cada vez mais baixa e cretina, manipulando as pessoas a seu bel prazer. Exemplo disso é aquele vídeo deplorável do Datena praticamente “pregando” contra ateus.
      Os trolls são covardes, os reis da pregação de moral de cueca pela net afora. Muito bom e digno falar mal dos outros no conforto do seu lar e a certeza do anonimato. É quando vemos a natureza das pessoas.
      E sim, a vontade de postar mais é grande, mas como sou atrapalhada, vivo adiando…
      Abraços!

  2. Rê_Ayla diz:

    Bacana seu texto. Tenho lido sobre o assunto, já q era leitora do blog dela e a sigo no twitter. Escrevi um texto sobre isso aí tb e te convido a ler: http://lifeisdrag.blogspot.com/2011/09/idade-das-trevas.html

  3. Graziela diz:

    Eu concordo com vc Carol. Eu acho sim que todas as mulheres tem o direito de decidir sobre sua sexualidade. Ninguém tem o direito de interferir na vida do próximo, fazer julgamentos e, muito menos, ofender. Só que da mesma forma que nós devemos respeitá-la, ela deveria também respeitar os comentários dos seus leitores. Se vc entrar no blog e ler os comentários e as respostas da Letícia, verá a quantidade de retornos mal educados por parte da blogueira. Não estou dizendo em relação à chuva de ofensas, mas sim, das pessoas que, simplesmente, discordam da opinião dela. Assim como muitas mulheres pregam a liberdade sexual, há ainda as que não concordam e nem por isso devemos avacalhar. Liberdade sexual, no meu conceito, seria a liberdade total, independente da escolha de praticar sexo casual ou querer casar virgem, por exemplo. Isso deve ser a escolha de cada uma. A blogueira em questão diz nos seus textos que não quer ser modelo para ninguém, que ela apenas faz o que acha certo para sua vida mas, lendo as respostas nos comentários, a gente percebe que não é bem assim. Existe ali uma clara distorção na interpretação dos textos expostos pelos leitores em prol da sua má educação e acidez. Essa grosseria pode ser devido ao fato de já ter lido tantas ofensas, pode, mas como vc diz acima “Receber críticas sobre algo tão íntimo exige uma autoconfiança suprema” e isso, percebemos claramente que ela não tem. Enfim Carol, acredito que com o passar do tempo, não precisaremos mais que apareçam “Letícias” pelo mundo para pregar os nossos direitos, que eles, simplesmente, estejam presentes nas nossas vidas! Bjos,

    • Sim, o respeito deve ser mútuo. Não concordo com grosserias, mas entendo o lado dela. Ser xingada e criticada por todos os lados não deve ser fácil, e a paciência acaba esgotando. Não justificaria grosserias de graça, mas dá pra entender o porquê dessa atitude.
      Concordo que o ideal seria que as mulheres não tivessem que se expor tanto para quebrar tabus e vencer preconceitos em relação ao sexo e ao próprio corpo, mas admiro quem tem a coragem de compartilhar intimidades para esse fim. Não sei se foi a intenção inicial da Letícia, porém ela acabou abraçando a causa.
      Beijos!

  4. eumermo diz:

    mulher faz sexo só por prazer ??kkkkkkkkkkkkkkkk conta outra vai
    nao existe sexo de graça ou se paga com dinheiro ou com a alma

    • Tens uma vagina por acaso? Parece que não, pois demonstra total desconhecimento sobre a anatomia e os desejos femininos. Cresça e apareça, jovem gafanhoto… É muito fácil reproduzir porcarias alheias, pseudo-verdades.

  5. Oswaldo Andrade diz:

    Isso mesmo mulherada! Viva a putaria! O homem já banalizou o sexo e o amor, agora só faltam vocês. Felizes as poucas que poderão olhar nos olhos do futuro marido e dos filhos com dignidade e honra por não terem se comportado como putas no passado.

    • Quer dizer então que sexo casual só vira “putaria” quando a iniciativa é das mulheres? Homem pode “pegar geral” e ainda olhar com dignidade para a esposa e filhos? Ah, e o seu comentário mostra a máxima machista: quando mulheres se comportam como seres humanos, vocês dizem que elas estão “imitando os homens”. Certo, porque para vocês, só o homem consta como ser humano padrão, a mulher é acessório, né? Conte-me mais sobre sua incoerência, caro Oswaldo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s