A Cartilha do Politicamente Incorreto

A moda agora é ser grosso e intolerante, brandar aos quatro ventos que imbecilidades preconceituosas e bagaceiras são “verdades incontestáveis”. Ser “politicamente incorreto” é cool, super moderno. As justificativas mais usadas para tal comportamento são: a liberdade de expressão, o gosto pessoal, o bom senso, ou “o que todo mundo pensa”.

Curiosamente, a maioria que defende o “politicamente incorreto” se diz defensora da moral e dos bons costumes. Eu me pergunto que moral é essa que justifica a humilhação e o preconceito? Quais são os bons costumes de gente que acha certo desrespeitar os outros por qualquer diferença que seja? Um dos valores basilares é o respeito ao próximo, e, conforme vamos amadurecendo, aprendemos a argumentar sem ofender, saber ouvir e se espressar de maneira civilizada.

Essa modinha possui alguns “heróis” bastante conhecidos na mídia, como o deputado Jair Bolsonaro, famoso por dar declarações de cunho racista e homofóbico sob o manto da “liberdade de expressão” e os comediantes (sic) do CQC, com piadas hi-la-ri-an-tes sobre estupro, amamentação, etc. É nessa onda que surgiu o patrulhamento feito pelos politicamente incorretos: qualquer um que discorde de suas opiniões é politicamente correto, o PIOR inimigo da humanidade é o politicamente correto, e por aí vai. O pior pesadelo dessa gente é ser criticada por avacalhar com os outros, por ser sem noção. Um exemplo recente é a vitória da Miss Angola no Miss Universo. Por um lado, é normal ver gente criticando a aparência da vencedora, por ter um gosto pessoal diferente, porém, não é normal xingar e rebaixar a miss só por não achá-la bonita. Expressar sua opinião sobre a beleza (ou a falta dela) em alguém não é equivalente à xingamentos e humilhações, isso parece mais implicância de coleguinhas na escola, bullying mesmo. Não gosta de cabelo crespo? Prefere loiras e de olhos claros? Legal, amigo, mas pra quê usar expressões como “negra aidética”, “parece uma favelada”, “ficaria melhor sem as cagadas na cara”, “macaca em um vestido”? É necessário se referir a alguém de modo tão chulo e bagaceiro? A patrulha chega a ser tão grande que, se alguém diz que a Miss Angola é bonita e mereceu ganhar, esse alguém só diz isso por ser “politicamente correto”. Ninguém pode achar negras bonitas e atraentes agora, é contra a verdade absoluta desses boçais.

Para aqueles que adoram distorcer as coisas: não quero acabar com o politicamente incorreto, não quero censurar ninguém, mas questionamentos são necessários. Questionar não é a mesma coisa que censurar. E não confundam politicamente incorreto com intolerância. O que critico aqui é a postura de ser intolerante e preconceituoso através do “politicamente incorreto”. Uma ironia do destino: politicamente incorreto virou eufemismo para racista/homofóbico/machista/intolerante, não passa, pois, de um termo politicamente correto para o preconceito.

Ter direito à liberdade de expressão torna alguém imune, impossível de sofrer críticas? É isso que os “politicamente incorretos” querem; imunidade total para detonar tudo e todos e AI de quem discorde ou critique suas opiniões tão incrivelmente superiores. Ora, é muito conveniente opinar assim, não exige grandes esforços argumentativos e muito menos um senso crítico apurado, basta inventar qualquer porcaria, colocar em forma de piada/jargão/silogismo aristotélico e VOILÁ, a “verdade universal que ninguém tem coragem de falar” está pronta, bonitinha para uso. Ah! Só não esqueça de puxar a descarga e lavar as mãos depois de usar, ok?

Atualização: sobre a suspensão de Rafinha Bastos do programa CQC, recomendo os seguintes posts; O politicamente incorreto só é errado quando atinge os ricos e Rafinha suspenso do CQC por ofender gente que importa.

Anúncios

Donna Simpson

O que leva uma pessoa a querer ser a mulher mais gorda do mundo?

Esse é o caso de Donna Simpson, uma estadunidense que pesa 273 quilos, que quer chegar aos 450 quilos, para ser a mulher mais gorda do mundo. Donna já possui o título de mãe mais gorda do mundo, ao dar a luz a sua filha em 2007.

Ela diz ser uma pessoa saudável, mas não consegue andar mais de 6 metros sem se cansar, precisando se locomover em um carrinho motorizado para ir ao supermercado.

O pior de tudo é que ela ainda é “incentivada” através de seu site, onde as pessoas pagam para vê-la comer.

Sinceramente, eu não sei o que é pior, garotas querendo emagrecer para serem “aceitas” no mundo da moda, ou essa mulher infeliz, que se ilude, achando que esta agradando as pessoas, quando na verdade o zé povo só quer ver ela se destruir.

As pessoas chegam até a mandar comida pra ela. Por favor, né? Só eu que vejo sadismo nisso? Querem ver ela se matar de tanto comer, isso sim.

Sei que as pessoas têm liberdade para divulgarem o que quiserem a seu respeito, mas acredito que, nesse caso, alguma medida precisa ser tomada. Além de oferecer riscos sérios a mulher, esse tipo de exposição é humilhante a ela, que é tratada como atração de circo. Outra coisa: e a filha dela? A menina pode acabar perdendo a mãe nessa palhaçada toda.

Vale a pena conferir

Alguns links interessantes:

A bandeira do mundo

A relação entre as crianças e a mídia

Trocaram o corpo da Demi Moore

Surpresa!

10 ”fatos” que não passam de mitos

7 perguntas que tiram o sono dos físicos

12 fotos ofensivas da boneca Barbie

Diferenças sociais bizarras entre homens e mulheres

Teoria da Conspiração

conspiração

Os ataques de 11 de setembro foram obra do governo americano? A Nova Ordem Mundial está por vir? O Príncipe Willian é o Anticristo?  Paul McCartney está morto?

Para muitas pessoas, as teorias de conspiração são a verdade que ninguém quer ver. Algumas delas fazem sentido, já outras parecem roteiros cinematográficos tirados de filmes de ficção científica.

Por que essas teorias existem?

Na minha opinião, algumas teorias mostram o nosso sonho de fazer parte de algo grandioso,  já outras realmente podem apresentar a verdade, quando a teoria oficial de algum acontecimento contém falhas e/ou informações dúbias.

A teoria da conspiração é ridicularizada ultimamente,  já que muitas teorias se mostraram absurdas, entretanto há teorias bem lógicas, que nos fazem pensar. Um exemplo de teoria lógica é sobre os atentados de 11 de setembro (atenção, só porque é uma teoria lógica não significa que seja a versão verdadeira – links aqui, aqui e aqui) .

Na minha opinião, as teorias de conspiração tem uma importância significativa, mostrando que a população não aceita tudo o que os meios de comunicação “enfia goela abaixo” (tá, muitas pessoas ainda são bem alienadinhas, mas a parcela de contestadores está aumentando).

Pretendo falar bastante sobre teorias conspiracionistas, é um assunto que gosto muito, visto que mostra um modo diferente de ver os fatos. É importante filtrarmos as informações que recebemos diariamente, só devemos tomar cuidado para que a desconfiança não nos domine.

Anorexia e a Mídia

A Anorexia Nervosa é uma doença grave que atinge , em sua maioria, mulheres jovens. O objetivo dessas garotas é perder peso, pois se sentem infelizes com o corpo que têm. A perda exagerada de peso pode agravar a saúde delas ao ponto de levá-las a morte.

A indústria da moda contribui bastante para a baixa auto-estima das mulheres, exibindo, em revistas e desfiles, mulheres muito magras, definindo um padrão de beleza doente e inalcançável para a maioria.

As revistas e programas de fofocas são grande vilões também. Sempre criticando alguma atriz que engorda um pouco, mesmo que ela não esteja gorda. Essa postura incute no nosso inconsciente um tipo de comportamento onde é imperdoável não ter um corpo como os das modelos e atrizes.

Outra coisa que me incomoda bastante é que praticamente toda a foto de artistas, seja de propaganda ou de evento, vêm retocada digitalmente, eliminando marcas da idade ou “imperfeições”  do corpo. Também é comum que emagreçam as celebridades para que elas entrem no padrão de qualidade.

O que fazer em uma sociedade em que você só tem valor se imitar a aparência de modelos com aspecto doentio (a maioria)?