2012 – Filme

Ontem fui ao cinema ver o mais novo filme-catástrofe de Roland Emmerich e posso afirmar que se vocês já viram outras produções desse cineasta, como O Dia Depois de Amanhã ou Independence Day, não vão se surpreender muito com 2012, que segue a mesma linha de destruição global.

2012 é um ótimo filme para assistir com os amigos, dar risadas e esquecer dos problemas. Não é necessário pensar muito para entender a história, que gira em torno de problemas familiares e conspirações governamentais que já vimos em outros filmes do gênero. O que mais chama a atenção no longa são as situações absurdas e os momentos cômicos que surgem nas horas mais impróprias, quebrando o clima de tensão e drama das cenas.

Faltou criatividade nas cenas de fuga, que se repetiam ao longo do filme. Perdi a conta de quantas vezes eles tiveram que fugir de carro enquanto o chão se abria atrás deles, para depois pegarem um avião, desviando de prédios e monumentos históricos. A duração de quase 3 horas também foi um grande defeito, principalmente pra quem não é muito fã de filmes – catástrofe. As situações altamente forçadas – rosquinha gigante rolando no meio da rua, teto da Capela Sistina, atitude do presidente dos EUA e as fugas da família Curtis – chegam a ser cômicas e dão vergonha alheia.

O filme focou-se muito na situação política presente e não abriu espaço para a história que deu origem ao filme: o calendário Maia e as teorias secundárias. Quem pesquisa um pouco sobre o assunto sabe que as teorias apocalípticas para 2012 são muito ricas culturalmente e dariam uma ótima base se fossem melhor aproveitadas. O calendário de Conta Longa, o I Ching, os mitos Hopi e o WebBot são as principais fontes da teoria de 2012 e mal foram citadas no filme (webbot nem chegou a aparecer). Quase 3 horas de filme mal aproveitadas, na minha opinião.

Apesar dos poréns, 2012 não deixa a desejar em sua proposta. Há muita destruição, frases de efeito e uma liçãozinha moral no final. É um filme que sacia o nosso desejo milenar de ver o mundo indo pelos ares.

PS: Não se empolguem muito com a cena do Cristo Redentor dos trailres e posters.

Anúncios

Teoria da Conspiração

conspiração

Os ataques de 11 de setembro foram obra do governo americano? A Nova Ordem Mundial está por vir? O Príncipe Willian é o Anticristo?  Paul McCartney está morto?

Para muitas pessoas, as teorias de conspiração são a verdade que ninguém quer ver. Algumas delas fazem sentido, já outras parecem roteiros cinematográficos tirados de filmes de ficção científica.

Por que essas teorias existem?

Na minha opinião, algumas teorias mostram o nosso sonho de fazer parte de algo grandioso,  já outras realmente podem apresentar a verdade, quando a teoria oficial de algum acontecimento contém falhas e/ou informações dúbias.

A teoria da conspiração é ridicularizada ultimamente,  já que muitas teorias se mostraram absurdas, entretanto há teorias bem lógicas, que nos fazem pensar. Um exemplo de teoria lógica é sobre os atentados de 11 de setembro (atenção, só porque é uma teoria lógica não significa que seja a versão verdadeira – links aqui, aqui e aqui) .

Na minha opinião, as teorias de conspiração tem uma importância significativa, mostrando que a população não aceita tudo o que os meios de comunicação “enfia goela abaixo” (tá, muitas pessoas ainda são bem alienadinhas, mas a parcela de contestadores está aumentando).

Pretendo falar bastante sobre teorias conspiracionistas, é um assunto que gosto muito, visto que mostra um modo diferente de ver os fatos. É importante filtrarmos as informações que recebemos diariamente, só devemos tomar cuidado para que a desconfiança não nos domine.