Diga NÃO ao estupro corretivo

Eu estou completamente enojada com o que vi internet afora nesses dias, sério. Enojada, porém não surpresa. A notícia de que duas garotas de 16 anos denunciaram os integrantes da banda New Hit por estupro está dando o que falar nas redes sociais e mobilizando muita gente. O problema é que a mobilização é a favor dos integrantes. Quando vi isso pela primeira vez, achei que fosse porque eles tiveram seu direito a defesa cerceado ou algo do tipo, mas não. A mobilização (e a consequente perseguição às vítimas do abuso) está acontecendo pelo simples fato de haver denúncia. Exatamente: os fãs estão putinhos da vida porque seus ídolos não estão imunes ao sistema penal.

Eu pensei que nunca fosse precisar explicar o óbvio, mas aí vai: xingar/ameaçar/perseguir a quem denuncia crimes sexuais é o cúmulo da falta de empatia do ser humano e ajuda a perpetuar o silêncio das vítimas e a impunidade dos agressores. Parabéns, galerë! Assimilaram a cultura de estupro direitinho.

E que mídia, hein? Não podem nem sair de casa de tanta ameaça que recebem. É definitivamente o sonho de qualquer um 😉

Isso mesmo meninas, agora aguentem a ignorância desses boçais!

Claro, porque toda mulher que é estuprada no fundo queria dar mesmo, né? É só papinho…

Hmm, deixa eu ver: mulher denunciar homens por estupro? É cheira a mentira. Estupro não existe no Brasil.

Todo mundo sabe que um estupro só é legítimo quando ocorre com a mulher honesta, santa (canonizada depois de morta, sabe?) e assexuada, pois se a mulher tiver desejo sexual em algum momento da vida e ter uma paixonite por um ídolo (coisa que fã de verdade nunca teve), é porque não presta mesmo e não merecem respeito. Ou seja: o estupro é liberado, galerë! É só papinho e elas tem que aguentar!

Mulher que não é inocente não é estuprada, gente. Cabsurdo a mentira dessas meninas!

Claro, porque o estupro legítimo é altamente estereotipado e meninas que são forçadas a vender o corpo pelos próprios pais não estão sendo estupradas né, gente? São tudo safada mesmo e sabem se defender!

Onde já se viu as meninas terem a audácia de denunciar um estupro, né não? Tudo cachorra! Todo mundo sabe denúncias deixam qualquer um milionário. Vou lá denunciar um roubo e já volto com meus 2 milhões de reais…

Passou de 15 e 16 anos? Tudo puta! E o mais engraçado é que o que mais aparece é gente que tem “contatos” com a banda agora.

É mesmo, nem tinha me dado conta disso! Por que eu estou aqui reclamando da impunidade nos casos de estupro se há tantos estupros que nunca foram denunciados, não é mesm… OH WAIT

Meninas assanhadas querendo autógrafo? Estupro nelas! Estupro a todas que pedem autógrafo, pois todos os homens são estupradores disfarçados!

Claro que não foi forçado! Elas provocaram, pediram o estupro. Qualquer negativa delas foi frescurite! Estupro corretivo nelas!

Estupro não existe no Brasil gente, já que ninguém é obrigado a fazer nada que não queira 😉 FikDik :@

Eles devem ser presos pelo estupro sim, mas as meninas estupradas devem pagar por suas safadezas! Quem tem idade pra votar não pode reclamar de estupro.

Ameaçar a quem denuncia estupro é coisa de homens de BEM. Viva a impunidade, gente.

Estupro corretivo é para as meninas que não se dão valor. Tomem vergonha na cara!

Entrar em camarim de ídolo para pedir autógrafo e tirar foto? Coisa de puta que quer ser estuprada, lógico!

Gente, eu tenho mais alguns prints aqui, mas o nojo é maior e eu me abstenho de postar mais comentários asquerosos dessa gente tosca. Sabe o que eu acho mais ilógico nessa história toda? Os fãs da bandeca (tá mais pra bandecu) vivem repetindo que ninguém deve julgar os “garotos da New Hit”, que “só deus pode julgar” (claro, nosso sistema penal é só enfeite), mas são os primeiros a xingar, ameaçar, perseguir e humilhar as vítimas. Vários estão postando fotos delas no facebook (e é proibido fazer isso).

Outra coisa que notei foi gente pedindo a morte dos integrantes da banda, querendo destruir a casa dos familiares e tal. Pqp! Deixem a justiça privada de lado, ninguém aqui pode aplicar sanções penais. Ah, e desejar que eles sejam estuprados na cadeia também é naturalizar o estupro, é reforçar a ideia de estupro corretivo “para quem merece”. Eu repudio esse tipo de pensamento. Eles tem direito a um processo justo e humano, com garantia de ampla defesa. Aliás, é isso o que está faltando nesse caso: o respeito ao ser humano. Vamos ter mais empatia e parar de julgar as vítimas?

Anúncios

Polêmicas de domingo

O assunto mais popular de hoje é, sem dúvida, a entrevista da Xuxa no Fantástico. Não vou falar sobre o comportamento da Xuxa na entrevista, nem sobre o sensacionalismo do Fantástico, pois foram temas muito explorados em redes sociais e blogs, e eu não teria nada a acrescentar a essas críticas (algumas muito boas por sinal).

Vou comentar sobre dois pontos que mais me incomodaram nisso tudo, um bastante comentado, outro não.

1- As reações das pessoas ao relato de abuso sexual;

2- O julgamento pelo filme porno (sic) em que ela contracena com um menino de 12 anos.

Infelizmente, não estou surpresa com a quantidade de comentários maldosos e/ou moralistas a respeito da declaração da Xuxa sobre ter sofrido abuso sexual na infância. É comum desconfiar da vítima do abuso, ou de culpá-la por ter sido abusada.

Muitos criticaram a Xuxa por ter exposto a situação agora, com 49 anos, e que teria sido melhor ela ir ao analista. Deixando um pouco de lado o sensacionalismo da Globo, que está lucrando muito com essa entrevista, eu me pergunto: não se deve falar sobre o abuso sexual infantil na mídia? O que se critica tanto afinal, o sensacionalismo ou o abuso sexual como assunto em pauta?

Achar que o ideal é guardar situações de abuso sexual como segredos sujos, trancados a sete chaves para não mancharem a honra da vítima, é algo cabuloso para mim. É muito cômodo fingir que estupros só ocorrem com quem se submete, ou com quem “merece”. Essa falta de empatia com as vítimas contribui para o silêncio das mesmas, para a estigma de sujeira e desonra. Se toda vez que um caso de abuso surge na mídia a vítima for desmerecida pelas pessoas, que recado é passado para nós? Em caso de abuso, fiquem quietos para não serem julgados (leia-se, diminuídos/humilhados) pelo senso comum.

Ela demorou para contar? Não se lembra do primeiro abusador? Não se comportou como vítima de abuso? Isso não é motivo para desmerecer o testemunho de qualquer vítima, muito menos para julgá-la. Não há um padrão de comportamento para vítimas de estupro. Respeitem isso e tenham mais empatia, por favor.

Apesar do sensacionalismo, falar sobre abuso sexual é sempre positivo. É preciso sair da zona de conforto e pensar no que pode ser feito para evitar o abuso sexual. Individualmente não é preciso fazer muito não, basta ouvir e não duvidar de cara do que uma criança tem a te dizer, por exemplo. Oferecer um ombro amigo, mostrar apoio, não julgar.

 

Ok, sobre o tão falado “filme pornô” da Xuxa. Primeiramente, seria bom falar um pouco sobre a Pornochanchada, muito comum na década de 70 no Brasil. Pornochanchada é um tipo de filme erótico softcore, ou seja, não há cenas de sexo explícito.

Correção 24/05/12: o filme Amor, Estranho Amor não entra no gênero pornochanchada, é um filme com cenas eróticas apenas. De qualquer modo, não há sexo real entre os atores.

Todos amam falar da Xuxa, mas outros atores famosos participaram das pornochanchadas, embora neguem. Alguns nomes: Antônio Fagundes, Nuno Leal Maia, Ney Latorraca, Marília Pêra, Sônia Braga, Vera Fischer, etc.

O filme Amor, Estranho Amor (1982), contava com atores famosos, como Tarcísio Meira, Mauro Mendonça e Vera Fischer. Apesar de ter sido lançado em 1982, o filme foi filmado em 1979, quando Xuxa tinha 16 anos.

Além da cena erótica com Xuxa, o menino também fez uma cena erótica com Vera Fischer, que interpretava sua mãe. Disso ninguém fala, né? Também não falam que o menino fez uma pornochanchada antes, Eros, o Deus do Amor. Entrevista com ele aqui.

Eu sou veementemente contra filmes que erotizam crianças, e acho bom que hoje em dia tais filmes sejam vistos com estranhamento e espanto, mas acho de uma ignorância tremenda sair por aí dizendo que a Xuxa é pedófila. Ela também era menor de idade da época e foi erotizada, e os verdadeiros responsáveis são os idealizadores do filme, não é mesmo? Se a indignação geral fosse séria, não colocariam a culpa na Xuxa, mas sim em quem fez o filme.

Vale lembrar também que isso não aconteceu só aqui no Brasil. Sabem a Brooke Shields, de A Lagoa Azul? Sua carreira despontou com o filme Pretty Baby, em que ela interpreta a filha de uma prostituta que tem a virgindade leiloada com 12 anos de idade (mesma situação da personagem de Xuxa em Amor, Estranho Amor). O filme causou polêmica por mostrar uma menor  de idade nua.

Se preocupar com a erotização infantil vai muito além de chamar a Xuxa de pedófila, gente. Tó aí um site sobre o tema: Diga Não À Erotização Infantil.

Obs.: uma crítica realmente construtiva sobre a Xuxa em si, seria em relação a erotização promovida em seu programa infantil, por exemplo. Só não é tão apelativo quanto dizer que ela é pedófila…